Participantes do Projeto 2

Participantes do Projeto 2 (9)

Vivian Costa Manso

Thursday, 12 January 2017 14:07 Written by

Vivian Costa Manso – Vocal.

Foi uma das fundadoras da banda Sunday e integrou durante 5 anos o grupo Harmony Cats com quem fez muito sucesso no Brasil e em vários paises da Europa.

Foi também cantora da famosa orquestra Super Som T.A., além de destacar-se como atriz em peças de teatro e em musicais da Rede Globo.

Participou como vocalista de inúmeras gravações no Brasil e no exterior, ao lado de artistas e projetos do naipe de Roberto Carlos, Turma da Mônica (onde fazia a voz da Magali), Barbie, dublagens de filmes, comerciais, etc. Vivian voltou recentemente a seus estudos tendo terminado recentemente o curso de interpretação na Escola de Teatro & TV Wolf Maya. 

Rufino

Monday, 09 January 2017 12:33 Written by

Ruffino Lomba Neto (*29/05/1952 - +26/05/2013) faltavam apenas três dias para o seu aniversário de 61 anos, mas a grande gig no céu resolveu recrutá-lo antes. 

Emblemático roqueiro paulistano do bairro da Pompéia, baixista do Tutti Frutti, com passagens pelo Patrulha do Espaço e Made In Brazil, foi roadie dos Mutantes no final dos anos 1960. Nessa época, montou uma de suas primeiras empreitadas na música. Foi ao lado de Luiz Carlini, que lembra: “Nos conhecemos em 1969, na casa dos Mutantes, meus vizinhos na Pompeia [bairro paulistano]. De 1970 a 1972, tocamos juntos numa banda chamada Lisergia, a qual viria a ser o Tutti Frutti, com Lee Marcucci no baixo e ele na guitarra base”.

Mr. Ruffino era baixista, guitarrista, vocalista e produtor musical. Tocou com nomes expressivos da música brasileira, tendo montado a Banda Tutti Frutti ao lado de Rita Lee, a banda Space Patrol (Patrulha do Espaço) ao lado de Arnaldo Dias Baptista. Tocou também com Made in Brazil, Sobrinhos do Capitão, Paulinho Boca de Cantor, Expulsos da Gravadora, Claudio Nucci e acompanhou alguns artistas da Jovem Guarda como, Deny e Dino, Os Vips, Wanderlei Cardoso e a cantora Martinha. 

No Made in Brazil ele tocou guitarra nos shows de lançamento do disco Paulicéia Desvairada (1979). 

Desde 2005 participou do Projeto Rockomodo e em 2007 gravou diversas faixas no CD Rockomodo .

 

Em 2007 participou no CD “A Turma da Pompéia” ao lado de músicos como: Sérgio Dias, Wander Taffo, Mozart Mello, Lee Marcucci, Nenê Benvenuti, Franklin Paolillo, Manito e Luiz Carlini. 

Mr. Ruffino, voltou para o Tutti Frutti em 2007, ao lado de figuras conhecidas do Rock da Pompeia, com o guitarrista Luiz Carlini e o tecladista Johnny Boy Chaves. 

 

 

 

Enza Flori

Wednesday, 04 January 2017 14:05 Written by

Enza Flori Nascida em 02 de setembro na cidade de Napoli, Itália naturalizada brasileira e radicada no Brasil desde os anos 50, Enza foi uma das primeiras crianças a gravar discos no Brasil. O talento musical apareceu logo cedo.

Aos 4 anos de idade já dublava, cantava e imitava cantoras famosas, como Lana Bittencourt e músicas de Gilbert Bécaud. Aos 9 anos de idade, quando Rita Pavone veio ao Brasil, realmente desperta a vontade de ser cantora, revela seu talento e sua afinação natural.

Acompanhada pelo conjunto The Jet Blacks, numa apresentação em São Paulo surgem comentários sobre o talento da garota que canta muito bem e tem grande capacidade interpretativa. Sua semelhança física com a famosa cantora italiana desperta interesse do público em geral, o que lhe vale o apelido de “Rita Pavone brasileira”. Gatto, guitarrista do The Jet Blacks, levou-a na gravadora Chantecler, aonde permaneceu gravando toda sua obra. Contratada efetiva da TV Record além de participar do Programa Jovem Guarda de Roberto Carlos, foi à primeira criança cantora a se apresentar no programa Astros do Disco. "Occhi Miei" gravado com The Jet Blacks, principal faixa do compacto ganhou grande destaque nas paradas de sucessos.

Deixando de ser denominada Rita Pavone brasileira aonde ganhou o carinhoso apelido do Rei Roberto Carlos de “minha mascotinha”, por ser a única criança a participar do programa. Foi contratada pela TV Excelsior onde apresentou com Altemar Dutra o programa Juventude em Brasa, foi à única cantora efetiva do programa Linha de Frente, apresentado pela dupla Os VIPS. Na TV Paulista - atual TV Globo participou nos programas de Silvio Santos e Discoteca do Chacrinha. Na TV Bandeirantes fez junto com Ed Carlos o programa Mini Guarda.

Apesar de estar em uma emissora que até então não trabalhava com musicais, foi destaque na época, pois era uma réplica do Jovem Guarda, feita com crianças e adolescentes que queriam ingressar na carreira artística aonde surgiram grandes nomes como Fábio Jr. e Pepeu Gomes.

Nos anos 2.000 participou de vários Cruzeiros Marítimos , fazendo sucesso com seus shows. 

No segundo semestre de 2013 Enza lança o novo CD Alta Marea, produzido por Miguel Briamonte, com arranjos do mesmo e de Marcel Nadal.

A faixa título do CD, tem a participação especial de Roger (Ultraje a Rigor).

 

Prini Lorez

Thursday, 22 December 2016 17:25 Written by

Prini Lorez

José Gagliari Jr

08/05/1942 São Paulo, SP 

Ex-vocalista do conjunto The Rebels, depois, passou para o The Avalons, estreou em disco solo em 1962 pela Chantecler utilizando o nome artístico de Galli Jr. Acompanhado pelo grupo The Jet Blacks, gravou na ocasião as músicas "What I'd say" e "I just wanna make love". No mesmo ano gravou, "A menina dos meus olhos" e "Último amor", acompanhado pela Orquestra Chantecler sob a regência do maestro Élcio Alvarez. Em 1963 o conjunto The Clevers gravou de sua autoria "Menina dos sonhos meus", pela Continental.

 José Gagliardi Junior, mais tarde, Prini Lorez foi uma sensação. Pelo relato do livro de Vander Loureiro, o Gally Jr., estava fazendo o maior sucesso na famosa  boite Lancaster, referência do rock paulistano no início dos anos 60, sendo acompanhado pelos Jet Blacks, em 1964, quando José Scatena, diretor da gravadora paulista RGE, ao ver sua interpretação de  “La Bamba”, que levava a plateia ao delírio, teve a iniciativa de criar o Prini Lorez em alusão ao Trini Lopez, grande sucesso nos Estados Unidos na época . 

No mesmo ano lançou pela RGE um compacto simples com "América" e "If I had a hammer". Em 1965 participou do programa de estreia da "Jovem Guarda", na TV Record e sua presença sempre foi constante durante a duração do programa.

Como diz Vander Loureiro, membro do conjunto “do-wop” The Beverlys, que fez 'back-vocals' para o Prini alguns anos e durante a época da Jovem Guarda, em seu livro:  “No Programa Jovem Guarda, Roberto Carlos, por várias vezes, dava uma canja com ele, como se dizia na gíria da época. Tudo isso para dizer que o Prini tinha seu valor intrínseco e a admiração de Erasmo e   Roberto Carlos, que  além de anuncia-lo, geralmente na abertura do programa, cantava as vezes  com ele.

 

 

Discografia

(1962) A menina dos meus olhos / Último amor • Chantecler • 78

(1962) What I'd say / I just wanna make love • Chantecler • 78

(1963) Menina dos sonhos meus / Último amor • Chantecler • 78

(1964) La raspa / Cielito lindo • RGE • Compacto simples

(1964) Prini Lorez • RGE • LP

(1964) La bamba / Walk right in • RGE • Compacto simples

(1964) América / If I had a hammer • RGE • Compacto simples

(1965) It woudn't happen with me / Oh lonesome me • RGE • Compacto simples

(2007) Participa com a música Verão Passado no CD Rockomodo

 

 

 

Martinha

Tuesday, 13 December 2016 01:50 Written by

Martha Vieira Figueiredo Cunha, a Martinha (Belo Horizonte, 30 de julho de 1949) é uma cantora e compositora brasileira.

Foi apelidada de "Queijinho de Minas" por Roberto Carlos. Destacou-se na Jovem Guarda participando de programas musicais e de entrevistas nas mais importantes emissoras de televisão.

Seu grande sucesso foi Eu daria a minha vida, gravada em 1968, depois também gravada por Roberto Carlos, exemplo seguido por outros cantores.

Ao longo de sua carreira, iniciada em 1966 e feita no Brasil e no exterior, gravou 23 LP, que somaram três milhões de cópias vendidas. Alcançou grande êxito na América Latina com canções como "Hoy daria yo la vida", "Llueve" e "Aquí".

Ganhou todos os prêmios possíveis no país, e muitos outros no exterior. Como compositora, conseguiu grande êxito, tanto com cantores da Jovem Guarda como com os sertanejos.

Atualmente reside na cidade de São Paulo.

Biografia 

Filha única, desde pequena cantarolava músicas que compunha. Aprendeu a tocar piano aos cinco anos de idade. Era filha de Dª Ruth, que tornou-se a famosa Candinha, que assinava a coluna "Mexericos da Candinha", na fase áurea da Revista do Rádio, editada pelo jornalista Anselmo Domingos desde 1948 até o final da década de 1960.

                                       Carreira 

Iniciou a carreira em 1966, participando do movimento da Jovem Guarda, sendo anunciada carinhosamente por Roberto Carlos, nas apresentações do programa, como "Queijinho de Minas". Seu primeiro sucesso foi a composição, de sua própria autoria, "Eu te amo mesmo assim", gravada no mesmo ano, num compacto simples, que trazia, ainda, a música "Quem disse adeus agora fui eu". Em 1967 teve a composição "Só sonho quando penso que você sente o que eu sinto", gravada por Erasmo Carlos na RGE. No mesmo ano, lançou seu segundo compacto com as músicas "Barra limpa" e "Não brinque assim", pela Rozenblit. Em 1968, obteve seu maior sucesso com a canção "Eu daria a minha vida", de sua autoria, gravada por ela, inicialmente, e, depois, por outros artistas. Teve também composições gravadas por Roberto Carlos. Como cantora conheceu grande êxito com a interpretação de "Última canção", de Roberto Carlos. Com o declínio da Jovem Guarda, assim como Roberto Carlos, passou a utilizar em seu repertório músicas românticas. Ao longo da década de 1970 participou de festivais internacionais em vários países da América Latina. Dessa nova fase de sua carreira destacam-se as canções "Vai ser assim", de sua autoria e lançada em 1970, e "Pouco a pouco", em parceria com César Augusto, sucesso de 1983. Em 1985 teve a composição "Vem provar de mim", em parceria com Cesar Augusto, gravada por Chitãozinho e Xororó. No ano seguinte, a mesma dupla gravou "Queixas", outra de suas parcerias com César Augusto. Como compositora teve músicas gravadas por intérpretes como Ângela Maria, Moacyr Franco, Wanderley Cardoso, Perla, Leno, Paulo Sérgio e Ronnie Von. Ao longo da década de 1990, passou a compor para duplas sertanejas como Leandro e Leonardo e Chitãozinho e Xororó. Em 1992, Chitãozinho e Xororó gravaram "Nossa história". Em 1995, regravou as músicas "Nossa canção", "Eu daria minha vida" e "Última canção" para a coletânea lançada pela Polygram em comemoração aos 30 anos da Jovem Guarda. No início dos anos 2000, passou a viver numa granja, na região da grande São Paulo, tendo dois filhos já maiores de idade.

Em 2005, participou de diversos eventos e shows comemorativos dos 40 anos da Jovem Guarda, o projeto "Festa de arromba- 40 anos da Jovem Guarda", apresentado durante todo o mês de agosto, no Teatro II do CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil), no Rio de Janeiro, passando também por Brasília e São Paulo, no qual fez dupla com Wanderley Cardoso, em temporada de 3 dias, alternada com outros expoentes da Jovem Guarda, que também se apresentaram em duplas, como Jerry Adriani e Waldirene, Golden Boys e Vanusa, Wanderléa e Erasmo Carlos. Com agenda lotada, a cantora participou de gravações, shows e programas comemorativos por todo o Brasil.

Em 2007 participa com a música “A velha casa” dela em parceria com Deny, da dupla Deny Dino , no Projeto Rockomodo, musica do CD Rockomodo. 

Em 2010, apresentou-se ao lado de Roberto Carlos no show do cantor "Emoções Sertanejas", projeto que será convertido em DVD, cantando a música Alô, de autoria dele. O espetáculo foi exibido como Especial da TV Globo.

                                    Discografia 

LP 

• Eu te amo mesmo assim, 1967, Rozenblit

Gosto de você (Martinha);

Meu vestidinho (Nilton; Alemão);

Não gosto mais de você (Martinha);

Seja o que Deus quiser (Martinha);

Não é tristeza (Edson Ribeiro; Mauri Câmara);

Barra limpa (Martinha);

Historinha de amor (Martinha);

Quero ficar sozinha (Renato Corrêa; Donaldson Gonçalves);

Arranje outra namorada (Marcos Roberto; Dóri Edson);

Pra que amar você (Martinha);

Volta depressa (Marcos Roberto; Dóri Edson);

Eu te amo mesmo assim (Martinha).

• Martinha, (1968), Rozenblit

Por quem estou apaixonada (Martinha);

Se você não explicar (Martinha);

Choro só por chorar (Luiz Fabiano);

Eu daria minha vida (Martinha);

Eu queria (Martinha);

Pior pra você, bem pior pra mim (Martinha);

Você não voltou (Martinha);

A minha melhor amiga (Elizabeth);

A tão sonhada paz (Perret);

Não sei se você sabe (Martinha);

Eu só queria namorar você (Dóri Edson);

Nem mesmo em sonho (Renato Barros).

 

• Martinha é o sucesso (1968)

 

• Martinha (1969), Copacabana

 

À procura de mim (Martinha);

          Eu vou (Martinha);

Eu escutei o seu adeus (Martinha);

Cansei de conversa (Martinha);

Escuta (Antônio Marcos);

Tarde, muito tarde (Martinha);

Estou arrependida (Luiz Fabiano);

Deixei (Martinha);

Minha canção e eu (Arnaud Rodrigues);

Sou feliz só por te ver (Tom Gomes; Luiz Wagner).

 

 

°    Martinha (1970),  Copacabana

• a

          Vestido Branco (Martinha);

Se eu te amasse mais do que te amo agora (Martinha):

Um novo céu (Ted Moreno; Fernando César);

Batuque na minha janela (Martinha);

Dia melhor (Arnaud Rodrigues);

Vai ser assim (Martinha);

Morrer por seu amor (Martinha);

Quero ver (Martinha);

Rema, remador (Dom);

Luz de amor (Johnny Alf);

Poema de Maria (Martinha);

Eu sou de você (Martinha).

 

Compactos

 

          °    Eu te amo mesmo assim (1966),  

Eu te amo mesmo assim (Martinha);

Quem disse adeus agora fui eu (Martinha).

• Martinha (1967), Rozenblit

Barra limpa (Martinha);

Não brinque assim (Martinha).

       °     Martinha (1968), Rozenblit

Se não fosse a lua (Martinha);

Seja o que Deus quiser (Martinha).

             °     Martinha e o sucesso (1969), Copacabana

Aqui (Martinha);

Meu namorado (Martinha).

              °   Martinha (1970), Copacabana

Vai ser assim (Martinha):

Eu sou de você (Martinha)

 

CD

° Martinha - Série BIS (2 CD)

 

º Martinha revive o sucesso (Copacabana)

 

º Seleção de ouro - 20 sucessos de Martinha (EMI)

 

° Rockomodo ( 2007) – participação com a música “A velha casa”

 

 

 

Simbas Vocal

Tuesday, 13 December 2016 01:36 Written by

Simbas , Nivaldo Alves Horas, é um cantor brasileiro, mais conhecido por seu trabalho em bandas de rock famosas da década de 1970, como Casa das Máquinas, Capop, Inteligence, Raices de America e Tutti Frutti.

Começou a carreira cantando em uma banda de bailes chamada Mountry, quando veio o convite para se tornar integrante da banda Casa das Máquinas, com a qual fez shows por todo o Brasil. Nos últimos anos, Simbas também atuou com a banda Dr.Fritz , faz shows com o guitarrista Kadu Andrade.

Simbas iniciou sua carreira em 1964 cantando em bailes e festas. Em 1968 se tornou integrante da banda C.A.P.O.P. , 02 anos depois entrou para a banda MOUNTRY, tocando então sucessos dos Beatles, Rolling Stones, Kansas, Led Zeppelin, etc. A consequência do sucesso gerado pela banda MOUNTRY foi o convite do baterista Netinho (ex-Incríveis) para integrar a banda CASA DAS MÁQUINAS em 1974, também, o convite de Rita Lee para dividir o palco em seus shows. Optou pelo convite de Netinho e a banda se tornou uma referência do rock nacional, gravando o sucesso "CASA DE ROCK", excursionando por toda a América do Sul, inclusive sendo atração do Festival LUNA PARK na Argentina.

Em 1978 resolveu trilhar um novo caminho, juntando-se então ao guitarrista Luiz Carlini para ser o vocalista da banda TUTTI FRUTTI, até então a banda acompanhava Rita Lee. A parceria segue até 1989 e como resultado alguns discos gravados e participações importantes como a de Guilherme Arantes.

 

No mesmo ano que deixou a banda TUTTI FRUTTI, é convidado a participar da banda INTELLIGENCE gravando um disco, permanecendo até 1990. Fez parte do grupo Raices de América, RICA de 1990 à 1996 gravando o disco AMAZÔNIA. Em 1993 ainda integrante do Raices de América montou uma banda com Willie Verdaguer, Ronaldo Paschoa e Marinho Thomaz, chamada A.A + Uma Dose, exclusivamente, para se apresentar no Victoria Pub, resgatando clássicos do Rock'n’Roll. Em 1996 com o término do Victoria Pub e a saída do Raices de América, formou a banda DR. FRITZ com Renato Muniz, Ronaldo Paschoa e Brasa que durou até 2001.

Em 2007 participando do Projeto Rockomodo gravou a música “O Velho Rock’nRoll” no CD Rockomodo do Projeto de mesmo nome.

Simbas Vocal , continua no meio musical, por trás dos palcos, além de ser empresário no ramo de sonorização, produção de eventos, bandas mas ainda participa eventualmente  como cantor vocalista, com seus amigos do Rock.

 

 

 

 

 

Luiz Carlini

Tuesday, 22 November 2016 00:45 Written by

 Esse Tal de ícone do Rock´n´Roll

Luiz Carlini  

 

O guitarrista Luiz Carlini, mais de meio século de vida e de rock and roll no melhor estilo e bom gosto musical. Nascido e criado na Pompéia, berço do rock paulista, bairro de Mutantes, Made in Brazil e Patrulha do Espaço e outras boas bandas da época, Carlini é a representação da paixão de uma geração pelo rock no Brasil. 

Em julho de 1973, Luiz Carlini montou o Tutti Frutti, para acompanhar a Rita Lee. Na verdade, a banda já existia antes com o nome de Lisergia, junto com o baixista Lee Marcucci, assim como Rita já tinha uma banda com a Lucinha Turnbul, chamada As Cilibrinas do Eden. Foram cinco anos de trabalho com Rita que resultaram em um acervo inestimável para o rock brasileiro. Três compactos, várias músicas nas novelas da Globo, hits nas rádios, tours pelo Brasil e os cinco álbuns feitos em conjunto: Atrás do Porto Tem uma Cidade (74), Fruto Proibido (75), Entradas e Bandeiras (76 - quando foi eleito o guitarrista do ano pelas revistas Pop e Rolling Stone), Babilônia (78) e Refestança (78), com Gilberto Gil. Luiz Carlini compôs com Rita Lee, sucessos como Agora Só Falta Você e outros. 

Na verdade, Luiz Carlini comenta que fez várias músicas durante esse trabalho com a Rita, mas não assinou, por inexperiência profissional. Não assinar, por exemplo, uma Ovelha Negra, meter aquele solo que empurrou a música para frente e ainda que se tornou um clássico. O solo de seis notas mais legal do rock nacional... comenta Luiz Carlini, num tom melancólico... 

Eles eram sócios, Carlini, Rita, Lúcia e as empresárias, Monica Lisboa e Judy Spencer. Elas ganhavam 20%, a Rita 40% e cada músico 10%. Aí quando entrou o Roberto de Carvalho, Carlini saiu fora. 

Em 78, Carlini se separa de Rita Lee e remonta o Tutti Frutti com outros músicos da época, o que resultou no álbum Você Sabe Qual é o Melhor Remédio. Ele registrou o nome: Tutti Frutti. 

O primeiro trabalho de Luiz Carlini e Tutti Frutti depois da separação com a Rita Lee, onde fez todos os arranjos musicais do seu disco Tibet, no começo dos anos 80. Depois produziu o disco do Supla, quatro discos e quatro tours com Guilherme Arantes e depois com Erasmo Carlos. Participa de dois especiais com Roberto Carlos para a Globo. Toca no Rock In Rio II e em duas edições do Hollywood Rock. Integra a banda Envergadura Moral de Marcelo Nova e grava Sessão Sem Fim (93) e Plugado (95), e Quem é Você (que tem a participação de Eric Burdon do Animals) com o Camisa de Vênus. Carlini participa ainda de discos do Golpe de Estado, Nasi e Irmãos do Blues, Made in Brazil , do disco de Paula Toller. Carlini tocou também com Titãs, Midnight Blues Band, Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso, Kid Abelha, Carlinhos Brown, André Christovam, Sergio Dias e Eric Burdon (The Animals). Em 2000, Carlini montou uma nova banda, com alguns integrantes do Tutti Frutti, para apoiar Ricardo Soares, no Festival da Música Brasileira da Globo e vence em primeiro lugar. 

Hoje Carlini ainda continua com o Tutti Frutti, tocando o repertório clássico da banda em alguns points na noite e está compondo o CD Luiz Carlini and Friends, onde pretende chamar vários músicos e participações especiais, com nomes importantes do cenário atual. 

Mais de meio século de Rock and Roll, com muita responsabilidade nos dedos e no estilo de um dos mais importantes músicos dos últimos tempos. Continua na estrada convidado para diversos eventos, tanto solo como participações especiais, atualmente   participa da banda de Guilherme Arantes. 

Luiz Carlini participa do Projeto Rockomodo , no CD ROCKOMODO(2007) , como guitarrista em duas músicas “Asa Delta” e “Pedaço de Chão” .

 

Brad Berendes

Tuesday, 22 November 2016 00:42 Written by

 Bradley James Berendes. nascido 30 outubro 1958 em Milwaukee Wisconsin-EUA

 

Saxofonista/flautista Brad Berendes formou no  Berklee College of Music em Boston-EUA, onde estudou com o legendário professor Joe Viola. Também estudou saxofone e improvisação com David Gross em Nova Iorque e Gary Campbell em Miami. Estudou flauta com Phillip Kaplin da Sinfonia de Boston e Carmen Garcia, flautista principal de Orquestra Municipal de São Paulo.

 

Desde o idade de 20 anos Brad faz carreira tocando, gravando e ensinando sax soprano, alto, tenor e barítono, flauta, flautim e flauta em sol. Tocou também clarinete, clarone, e teclados. Com grande  habilidade tanto leitura como em  improvisação e também experiência como arranjador, compositor e regente.

 

Morou em várias cidades: Nova Iorque, Boston, Miami e Fort Lauderdale - EUA; Tokyo - Japao; Nassau - Bahamas; Santo Domingo - Republica Dominicano; Rio de Janeiro e São Paulo - Brasil. Trabalhou em mais de 20 cruzeiros como musico contratado ou líder do grupo. No Rio de Janeiro trabalhou na banda do trompetista Marcio Montorroyos e gravou música para Artur Maia, já em São Paulo como integrante de banda da casa noturna Passatempo acompanhou artistas como Paulinho da Viola, Alcione, Emilio Santiago, Leila Pinheiro, Jair Rodrigues, Joana e Beth Carvalho. Tocou no programa do Silvio Santos `Rei Majestade` aonde acompanhou 125 artistas brasileiros. Viajou com a banda do maestro Bocato para Moscou - Russia onde tocaram música brasileira com diversos artistas entre os quais estavam João Donato, Emilio Santiago, e Wanda Sa. Também participou do gravação dos mais recentes rês discos do Bocato “Hidrogenio” , “Bocato e Carla Camargo” e “Esculturas de Vento´. Desde 2002 toca saxofones e flauta e recentemente como assistente regente da Banda Jazz Sinfônica de Diadema. Com esse grupo tocou recentemente 2 shows no Montreux Jazz Festival, inclusive com dois arranjos próprios.

 

Brad mora em São Paulo desde 1998 e continua trabalhando com alguns dos melhores músicos da cidade.

Em 2016 gravou todos os instrumentos de paleta no CD Rockomodo*Vida 

 

 

 

Thiago Chang

Tuesday, 22 November 2016 00:21 Written by

Release

Thiago Chang começou a carreira artística profissional em Taiwan , onde gravou videoclipes e gravou seu primeiro EP [ 存在] pelo selo BIN

Fez participações em programas, novelas e shows 

 

 https://youtu.be/zpGKFvJ6WEw

https://youtu.be/mLL4iDzwSzA

https://youtu.be/rs77kksKrXk

https://youtu.be/54zFKRoo_RY